Portal Houve e Comunicação

Quinta-feira, 18 de Julho de 2024
Tchê Farmácias
Tchê Farmácias

Mundo

Milei deixa Argentina sem gás, e país recebe socorro do Brasil

Em mais um fracasso das políticas ultraliberais do presidente Javier Milei,

Houvecom
Por Houvecom
Milei deixa Argentina sem gás, e país recebe socorro do Brasil
Foto: Divulgação- Milei- Presidente da Argentina
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

**Crise energética na Argentina evidencia falhas das políticas ultraliberais de Javier Milei**

A Argentina enfrenta uma grave crise energética, marcada pelo racionamento de gás natural que afeta tanto o setor produtivo quanto a população. Esse cenário é consequência direta das políticas ultraliberais do presidente Javier Milei, que desmontaram o setor energético local. Em resposta ao pedido de socorro do país vizinho, o Brasil enviou, na semana passada, 44 mil metros cúbicos de gás natural, transportados pela Petrobras.

A escassez de gás na Argentina é agravada pela chegada de uma massa de ar polar e pela falta de investimentos em uma infraestrutura já insuficiente. A política de austeridade de Milei interrompeu obras em usinas que aumentariam a capacidade de transporte do gasoduto Néstor Kirchner em 50%, ilustrando o impacto negativo dessas medidas no sistema energético do país.

Publicidade

Leia Também:

O apoio da Petrobras foi crucial para evitar um colapso no sistema de gás argentino. Analistas e políticos destacam o gesto como uma demonstração de solidariedade do presidente Lula, apesar das duras críticas que recebeu de Milei durante a campanha eleitoral. Conhecido como o "Bolsonaro argentino", Milei afirmou que não faria negócios com o Brasil devido a divergências ideológicas com Lula.

**Impactos da crise**

A crise energética se soma a outros desafios enfrentados pela Argentina nos primeiros seis meses de governo Milei. O arrocho fiscal imposto pelo presidente cortou os gastos públicos em 13% do PIB, resultando em uma perda de mais de 34% do poder de compra do salário mínimo, conforme dados do Centro de Pesquisa e Formação da Central de Trabalhadores da Argentina (Cifra-CTA).

A desvalorização do peso argentino, combinada com o congelamento de salários e aposentadorias, contribuiu para a queda do consumo. O país também sofre com a alta nos preços de bens e serviços, levando ao desaparecimento de produtos essenciais como carne e leite das mesas argentinas.

**Pobreza crescente**

Essas condições resultaram em um aumento significativo da pobreza e miséria no país. Atualmente, 55% da população argentina vive na pobreza, enquanto 18% enfrenta miséria absoluta, mais do que o dobro do índice registrado há um ano.

Esse cenário destaca os problemas de um modelo neoliberal que agrava as desigualdades sociais através da privatização de serviços essenciais e cortes em investimentos públicos, semelhante ao que ocorreu no Brasil sob o governo de Jair Bolsonaro e Paulo Guedes.

Na última semana, a divulgação do PIB argentino do primeiro trimestre revelou uma queda de 5,3% em comparação ao mesmo período do ano anterior, com um declínio de 8,4% somente em março.

**Comparações com o Brasil**

A crise na Argentina contrasta fortemente com os avanços econômicos e sociais alcançados pelo governo Lula no Brasil. Enquanto a Argentina perdeu mais de 100 mil empregos formais este ano, o Brasil gerou mais de 240 mil postos de trabalho formais em abril, reduzindo o desemprego ao menor nível em dez anos, 7,6% no trimestre encerrado em abril.

Além disso, o Brasil registra uma queda no índice de pobreza, com 2,6 milhões de brasileiros saindo da condição de miséria, segundo dados do FGV Social. Esse progresso é atribuído a medidas como o aumento real do salário mínimo e a ampliação de programas sociais, como o novo Bolsa Família, que melhoraram significativamente a qualidade de vida das famílias brasileiras.

Enquanto a Argentina luta para superar os impactos das políticas ultraliberais de Milei, o Brasil continua a colher os frutos de uma abordagem focada no crescimento econômico e na redução das desigualdades sociais.

Comentários:
Johnny Tatoo
Johnny Tatoo
Metaservers
Metaservers

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )