Portal Houve e Comunicação

Quarta-feira, 29 de Maio de 2024
Metaservers
Metaservers

Mundo

Entidades empresariais querem suspensão de contrato de trabalho

CONTRATO DE TRABALHO

André Garcia
Por André Garcia
Entidades empresariais querem suspensão de contrato de trabalho
DIVULGAÇÃO
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

Um grupo de representantes de entidades empresariais gaúchas se reuniu com o ministro do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho. Pediram medidas de flexibilização, como redução da jornada de trabalho e salário, suspensão temporária do contrato de trabalho, facilitação de teletrabalho, antecipação de férias individuais e coletivas, aproveitamento de feriados, banco de horas, além da suspensão do recolhimento do FGTS.

Conforme relato da Fecomércio-RS, Marinho se comprometeu em publicar a regulamentação em até 48 horas do artigo 2º da Lei 14.437/2022, sobre regras de teletrabalho, férias, feriados, banco de horas e FGTS.  Mas pediu tempo para avaliar se será necessário retomar o Benefício Emergencial (BEm) que vigorou durante a pandemia.

Pelas regras do Bem, quando há suspensão temporária do contrato de trabalho, o funcionário deixa de atuar normalmente e recebe um valor do governo em vez do salário pago pelo empregador.

Publicidade

Leia Também:

Na reunião online feita no final do dia da segunda-feira (6), ficou acertado que as entidades envolvidas voltarão a se reunir com o ministro em breve, para avaliar as medidas adotadas. A Federação das Indústrias do Estado (Fiergs) também participa.

É bom que o ministério avalie com muito critério a concessão do BEm neste momento, muito diferente do que caracterizado na pandemia. Qualquer redução de renda agora pode agravar a situação de uma população já afetada por imensas perdas materiais. Embora o programa preveja uma remuneração, não é no mesmo valor que os salários pagos atualmente. 

E, diferentemente da pandemia, a inundação pode se estender por algumas semanas, mas vai refluir. Enquanto isso, há necessidade de muita produção para normalizar o abastecimento de produtos essenciais e até reconstruir casas, estradas, infraestrutura. 

É verdade que muitas empresas tiveram de parar sua produção, por motivos que vão de alagamento à impossibilidade de receber insumos. Mas também é um momento importante para exercer responsabilidade social, atendendo às pessoas diretamente ligadas ao negócio.

FONTE/CRÉDITOS: GZH
Comentários:
Johnny Tatoo
Johnny Tatoo
Tchê Farmácias
Tchê Farmácias

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )